Lista de Projetos:

Núcleo Transdisciplinar de Pesquisa em Alimentação Sustentável e Produção Agroecológica (NASPA)

Caracterização geoquímica e classificação das águas dos rios São Bartolomeu, dos Couros e Tocantinzinho

Valéria Regina Bellotto

 

Mapeamento de Indicadores Ambientais de Biodiversidade Aquática da Chapada dos Veadeiros

Claudia Padovesi
Maria Júlia Martins Silva

 

Jóias da Chapada: Diversidade, Conservação e Ecologia dos Anfíbios da Região da Chapada dos Veadeiros

Reuber Albuquerque Brandão

 

Comunidade de grandes mamíferos do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: o efeito de cães domésticos sobre a ocupação das espécies ameaçadas

Isadora Cristina Motta Lessa

 

Ecologia e conservação de médios e grandes vertebrados frente a impactos antrópicos e a eficácia do turismo para a conservação da biodiversidade

André Cunha

 

Restauração ecológica e controle de gramíneas exóticas invasoras no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Isabel Belloni Schmidt
Alexandre Bonesso Sampaio

 

Guardiões das Águas da Chapada dos Veadeiros

Valéria Regina Bellotto

 

Mulheres do Cerrado: bases para uma Economia Solidária Ambiental

Tânia Cristina da Silva Cruz

 

Saberes e fazeres tradicionais na Chapada dos Veadeiros

Regina Coelly Fernandes Saraiva
Mônica Celeida Nogueira

 

Paisagem e Indicadores de Qualidade Ambiental para o apoio a gestão da Saúde na Chapada dos Veadeiros

Helen da Costa Gurgel

 

O Meio Ambiente e o Audiovisual: A Memória, o registro e a produção de narrativas audiovisuais na Chapada dos Veadeiros

Sérgio Ribeiro
Duda Bentes

 

Estratégias para o desenvolvimento do turismo sustentável na região da Chapada dos Veadeiros

Luiz Carlos Spiller Pena

 

Teatro e expressões artísticas na Chapada dos Veadeiros

Jonas de Lima Sales

ECOSSISTEMAS SONOROS: Processos educativos voltados para a preservação e afirmação da identidade sonora e musical do cerrado

Patrícia Pederiva 

Mapeamento de Indicadores Ambientais de Biodiversidade Aquática da 
Chapada dos Veadeiros

 

Claudia Padovesi
Maria Júlia Martins Silva

O projeto realiza o estudo das comunidades aquáticas da região da Chapada dos Veadeiros para desenvolver uma metodologia para uso da biota aquática como indicadora de qualidade ambiental, da água e de biodiversidade.

O projeto foi desenvolvido ao longo de dois ciclos sazonais em duas bacias: do Rio São Bartolomeu e do Rio dos Couros. As comunidades aquáticas analisadas foram: algas planctônicas, microfauna planctônica, e macroinvertebrados bentônicos. As algas identificadas representaram organismos indicadores de ambientes transparentes e oxigenados; a microfauna foi composta de organismos indicadores de espécies adaptadas a correnteza e de remansos.

Os grupos bentônicos foram característicos de ambientes de correnteza e limpos, principalmente com organismos das ordens Plecopterae Trichoptera. O projeto representa uma investigação pioneira para esta abordagem na região. O uso destas comunidades biológicas como ferramenta para avaliação ambiental se configura como papel relevante de referência na preservação do Cerrado.

Caracterização geoquímica e classificação das águas dos rios São Bartolomeu, dos Couros e Tocantinzinho

 

Valéria Regina Bellotto

O projeto aborda a geoquímica e a qualidade das águas de três micro bacias: a do Rio São Bartolomeu, do Rio dos Couros e do Rio Tocantinzinho.

Com base em estudos físico-químicos foram determinados parâmetros como temperatura, pH, oxigênio dissolvido, saturação de oxigênio dissolvido, sólidos totais dissolvidos e condutividade elétrica, além de outros elementos químicos como ferro, alumínio, magnésio, cálcio, entre outros.

Por meio das coletas e análises foi possível distinguir a composição química dos três rios. A mesma análise identificou variação sazonal desta composição, particularmente nos casos dos rios São Bartolomeu e dos Couros, mostrando a influência do regime hidrológico e pluviométrico na composição das águas. Pelo diagrama de Piper determinou-se que as águas do Rio São Bartolomeu, e do Rio Tocantinzinho são classificadas como águas bicarbonatas cálcicas. Já as águas do Rio dos Couros são classificadas como mistas. A aplicação do Diagrama USSL mostrou que as águas dos três rios estudados apresentaram a classe C0S1, ou seja, risco nulo de salinidade e baixa sodicidade, indicando ótima qualidade para irrigação. Os valores encontrados para os parâmetros determinados nesse estudo foram inferiores aos valores máximos permitidos para águas doces Classe 1 segundo a Resolução CONAMA 357/2005.

A partir dessa comparação pode-se inferir que os rios estudados encontram-se preservados do ponto de vista da qualidade das suas águas, pois a principal contribuição dos elementos químicos é de origem natural, proveniente do intemperismo químico e lixiviação do solo.

Núcleo Transdisciplinar de Pesquisa em Alimentação Sustentável e Produção Agroecológica (NASPA)

 

Este núcleo foi criado por professores do Centro UnB Cerrado e profissionais e estudantes de Alto Paraíso de Goiás por meio da Chamada MCTI/Ação Transversal–LEI/CNPq Nº 82/2013 - Segurança Alimentar e Nutricional no Âmbito da UNASUL e ÁFRICA - com o objetivo de fortalecer a segurança alimentar e nutricional na Chapada dos Veadeiros, a partir da valorização e ampliação da produção agrícola de base agroecológica de alimentos, capilarizando sua distribuição permitindo o acesso dos consumidores a produtos de custo adequado ao poder aquisitivo da população regional.

Para mais informações acesse o site oficial do NASPA clicando AQUI.

Projetos

Jóias da Chapada: Diversidade, Conservação e Ecologia dos Anfíbios da 
Região da Chapada dos Veadeiros

 

Reuber Albuquerque Brandão

O projeto tem como principais objetivos estudar, avaliar, classificar e preservar a fauna de anuros do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, conhecido por sua diversidade e abundância de espécies. São mais de 50 espécies de anuros encontradas na região, o que a torna uma das localidades mais ricas de todo o bioma Cerrado.

Assim, o projeto já conseguiu resultados importantes, como a descrição do canto da rã Leptodactylus tapiti, uma espécie restrita à Chapada dos Veadeiros, de ecologia pouco conhecida; a descrição de três novas espécies de anuros do gênero Proceratophrys(Odontophrynidae).

 

A descrição de uma nova espécie do gênero Scinax desenvolvidos no projeto foram três trabalhos de IC, uma dissertação de mestrado e uma tese de doutorado. Também foi feito o primeiro registro do fungo Batrachochytrium endrobatidisparasitando espécies do Cerrado, possibilitando um alerta sobre a conservação das espécies de riacho, entre outros fatos descobertos pelo projeto.

 

Publicação de Artigo: CLIQUE AQUI

Comunidade de grandes mamíferos do Parque Nacional da Chapada dos 
Veadeiros: o efeito de cães domésticos sobre a ocupação das espécies ameaçadas

 

Isadora Cristina Motta Lessa

O projeto busca monitorar áreas com e sem a presença de cães domésticos para avaliar sua influência na ocupação de áreas pelos mamíferos nativos da região, uma vez que a presença do animal doméstico afasta as espécies naturais.

 

O trabalho é feito por meio de armadilhas fotográficas distribuídas em 12 módulos, sendo que oito deles estão no entorno do Parque Nacional, sendo quatro próximos a casas com cães e outros quatro em residências sem a presença do animal doméstico. Os outros quatro pontos estão no interior do Parque.

 

Desta maneira, o uso de hábitaté avaliado de acordo com a relação da probabilidade de ocupação, em busca de diretrizes para um manejo e conservação de mamíferos nativos na área do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Ecologia e conservação de médios e grandes vertebrados frente a impactos antrópicos e a eficácia do turismo para a conservação da biodiversidade

 

André Cunha

Este projeto busca avaliar os potenciais impactos positivos e negativos do turismo na Chapada dos Veadeiros. A relação entre a preservação do Parque Nacional da Chapada – principalmente em relação aos mamíferos de médio e grande porte – e a questão econômica promovida pela visitação é o ponto principal de pesquisa, uma vez que é sabido que, apesar de importantes, atualmente, a maioria dos vertebrados de médio e grande porte possui populações pequenas e fragmentadas pela ação humana, sendo altamente suscetíveis à extinção.

Assim, para avaliar o impacto na fauna são dispostas armadilhas fotográficas em áreas visitadas e não visitadas. Resultados preliminares indicam que algumas espécies de mamíferos evitam as áreas visitadas.

A motivação e satisfação com a experiência da visitação e a contribuição para promover a sensibilização ambiental dos turistas, além dos impactos econômicos do turismo na região são investigados através de entrevistas com os visitantes. De cerca de 300 questionários já aplicados, podese perceber que a principal motivação dos turistas é ficar em contato com a natureza, que eles reconhecem a função primordial do parque para a conservação da natureza e que desejam aprender mais sobre o tema.

A pesquisa continua para poder promover o ecoturismo de forma responsável e bem planejada, com objetivo de provocar a reflexão, por parte dos visitantes, dos benefícios providos pelos recursos naturais e da problemática ambiental, em nível local e global.

Restauração ecológica e controle de gramíneas exóticas invasoras no 
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

 

Isabel Belloni Schmidt
Alexandre Bonesso Sampaio

Este projeto busca um manejo para a restauração de espécies nativas em áreas dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros que estão dominadas por gramíneas exóticas invasoras. Estas impedem a regeneração natural, a sucessão ecológica e alteram o regime de fogo - aumentando a frequência e intensidade de queimadas.

O manejo proposto é feito por meio de semeadura direta de espécies nativas, técnica relativamente barata e de fácil implementação em larga escala. Assim, o grupo que compõe o projeto vem testando a eficiência da semeadura direta de espécies herbáceas, arbustivas e arbóreas como técnica de restauração ecológica.

Uma pastagem abandonada, coberta por Urochloa decumbens(capim-braquiária) e Andropogon gayanus(capim andropogon) foi roçada e recebeu a semeadura direta de 40 espécies nativas.

Seis meses após o plantio, a cobertura de exóticas foi reduzida de 95% para 66%, enquanto que a cobertura do solo por plantas nativas plantadas foi em média de 10%, seguindo a tendência de aumento conforme a densidade de plantio dos tratamentos. Foi possível concluir, então, que a técnica de semeadura direta mostrou-se eficaz para o estabelecimento de plantas nativas e que o preparo do solo antes do plantio é crucial para menor retorno das gramíneas exóticas invasoras, uma vez que nas áreas em que o solo foi menos gradeado, devido a variações naturais no terreno, a rebrota das gramíneas invasoras foi mais forte.

Guardiões das Águas da Chapada dos Veadeiros

 

Valéria Regina Bellotto

O projeto trabalha três ações paralelas e integradas em prol da qualidade da água da região. A primeira é o diagnóstico dos recursos hídricos disponíveis, com foco nos rios do município de Alto Paraíso de Goiás. Por meio de pesquisa na literatura e coleta, seguida de análise química, de amostras de água dos rios, os dados são coletados para a elaboração da situação inicial da área.

De posse desses dados e diagnóstico, a segunda ação do projeto consiste em educar e mobilizar a comunidade local quanto às condições dos recursos ídricos, o impacto das atividades humanas nestes e os conflitos de uso da água. Com base nesta etapa parte-se para a última fase do projeto: capacitação de jovens para formação de uma rede voluntária de monitoramento da qualidade das águas.

O objetivo é sensibilizar e despertar os jovens para a ciência, em particular a química, usando a natureza como exemplo de suas aplicações práticas e apacitar estas pessoas para um trabalho técnico de coleta, preservação e análise de água. As atividades envolvem, ainda, o desenvolvimento de habilidades na área da matemática, para alguns cálculos e para representação gráfica dos dados levantados e técnicas de redação.

Mulheres do Cerrado: bases para uma Economia Solidária Ambiental

 

Tânia Cristina da Silva Cruz

 

O objetivo geral desta pesquisa é analisar qual a relação das mulheres do Cerrado – nas regiões de Alto Paraíso, Moinho, São João da Aliança, São Jorge, Cavalcante e Teresinha – todas no estado de Goiás - com a conservação do meio ambiente e o desenvolvimento de práticas e políticas públicas sustentáveis nos usos e manuseios do bioma.

Desta forma, a realização deste projeto busca contribuir na elaboração de um diálogo teórico-prático (que alimente tanto as discussões teóricas quanto as mobilizações de base comunitária) que busca dar visibilidade às experiências e contribuições das mulheres a um meio ambiente ecologicamente racional, sustentável e equilibrado. Parte-se do pressuposto de que, enquanto as contribuições das mulheres à sustentabilidade do meio natural e cultural não receberem reconhecimento e apoio, o desenvolvimento sustentável seguirá sendo um objeto de difícil alcance.

O estudo busca, ainda, identificar potenciais focos para produção local a partir de elementos da economia popular solidária, com geração de emprego e renda baseado na produção de artigos relacionados ao bioma do Cerrado.

Saberes e fazeres tradicionais na Chapada dos Veadeiros

 

Regina Coelly Fernandes Saraiva
Mônica Celeida Nogueira

 

O objetivo geral desta pesquisa é analisar qual a relação das mulheres do Cerrado – nas regiões de Alto Paraíso, Moinho,

O projeto Saberes e Fazeres Tradicionais na Chapada dos Veadeiros é parte das ações estratégicas do Centro de Estudos do Cerrado na Chapada dos Veadeiros (Centro UnB Cerrado) que tem como objetivo principal promover o desenvolvimento regional sustentável da Chapada dos Veadeiros. As ações do Centro UnB Cerrado, desde sua criação, em 2011, estão voltadas para a mobilização de atores sociais locais, debates e reflexão sobre as possibilidades de um desenvolvimento regional que reconheça a importância e valorize o Cerrado na sua dimensão socioambiental e cultural.

 

O Centro UnB Cerrado tem sido um importante agente estimulador e mobilizador de iniciativas comunitárias, geração de informações e conhecimentos científicos úteis à sociedade regional, bem como um estimulador do conhecimento tradicional na região. A Chapada dos Veadeiros possui reconhecida importância em termos de diversidade ambiental, fato que justifica a presença de grande número unidades de conservação, com destaque para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Ao lado da diversidade biológica, encontra-se na região igual diversidade cultural, cujos principais representantes são famílias de agricultores, agroextrativistas, comunidades tradicionais e quilombolas, que ao longo de gerações desenvolveram saberes e fazeres próprios associados à biodiversidade nativa, além de expressões festivas e artísticas de grande beleza. A forte presença dessas comunidades é significativa e um olhar sobre elas é fundamental quando são pautadas questões relativas ao desenvolvimento regional sustentável. Na região, diante de processos de modernização saberes e fazeres de comunidades locais têm sido silenciados e pouco valorizados enquanto expressão e fonte de conhecimento sobre o Cerrado e essas comunidades.

 

O projeto visa contribuir com a valorização de saberes e fazeres tradicionais na Chapada dos Veadeiros, mobilizando atores sociais para o registro e gestão de suas histórias e memórias locais voltados para a sustentabilidade cultural e ambiental da região. A intenção é estimular o debate e a reflexão sobre as possibilidades de desenvolvimento regional e o papel a ser cumprido pelo Centro UnB Cerrado nesse contexto, qualificando iniciativas comunitárias e gerando informações e conhecimentos úteis à sociedade regional.

Paisagem e Indicadores de Qualidade Ambiental para o apoio a gestão da Saúde na Chapada dos Veadeiros

 

Helen da Costa Gurgel

O PIQASsO tem como objetivo a busca pela melhoria das políticas de saúde ambiental por meio de um método multidisciplinar de análise das situações ambientais e sanitárias adaptadas às regiões pobres do Brasil, como é o caso da região da Chapada dos Veadeiros. Ela abrange uma área de 21.475,60 Km2, e é composta por 8 municípios: Alto Paraíso de Goiás, Campos Belos, Cavalcante, Colinas do Sul, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, Teresina de Goiás e São João D’Aliança. A população total do território, em 2010, era de 60.267 habitantes, dos quais 21.398 vivem na área rural, o equivalente a 35,51%. Possui quase 3.400 agricultores familiares, 1.450 famílias assentadas, seis comunidades quilombolas e uma terra indígena. Seu IDH médio é 0,68, o mais baixo de Goiás e um dos mais baixos do Brasil.

O trabalho busca, por meio da análise da paisagem – realizada por instrumentos de geoprocessamento – inovar na área de conhecimento das relações entre a saúde e o meio ambiente. Assim, o PIQASsO propõe construir uma bateria de indicadores capazes de produzir um diagnóstico do estado do território e das políticas de saúde pública aliado a uma avaliação do estado do meio ambiente. Os métodos propostos são concebidos para integrar os protocolos de tratamento dos dados estabelecidos pelo Observatório Nacional Clima e Saúde (Observatorium©) do Brasil.

O Meio Ambiente e o Audiovisual: A Memória, o registro e a produção de 
narrativas audiovisuais na Chapada dos Veadeiros

 

Sérgio Ribeiro
Duda Bentes

 

O projeto Meio Ambiente e o Audiovisual busca produzir um registro audiovisual de todo o trabalho realizado pelo Centro UnB Cerrado, de forma que este material integre um banco de dados para futuras consultas e pesquisas sobre os projetos desenvolvidos pelo Centro.

A interdisciplinaridade é o principal argumento deste projeto, que tem como base a codificação e a organização da informação das diversas áreas de conhecimento envolvidas no Centro UnB Cerrado.

A intenção é servir como banco de referência para construções de acervo ou catálogo digital audiovisual que ficará disponível para futuros pesquisadores e estudantes. Basicamente, um resgate da memória e de conteúdos informativos sobre os estudos desenvolvidos ao longo dos anos.

Estratégias para o desenvolvimento do turismo sustentável na região da Chapada dos Veadeiros

 

Luiz Carlos Spiller Pena

 

O projeto abrange questões ambientais, históricas, culturais, socioeconômicas, de educação, saúde, turísticas, qualidade de vida e alimentação da região abarcada pelo Centro UnB Cerrado.

A meta é elaborar uma proposta de roteiro integrado para visitação na Chapada dos Veadeiros a partir da identificação e compreensão sobre a oferta turística e sua potencialidade.Isto é possível ao entender e integrar os diferentes grupos envolvidos com o desenvolvimento desse fenômeno, os desafios e potencialidades da região para o turismo, os subsídios para a definição de diretrizes de atuação e a promoção do desenvolvimento regional e sustentável da Chapada dos Veadeiros.

Teatro e expressões artísticas na Chapada dos Veadeiros

 

Jonas de Lima Sales

 

O projeto Teatro e expressões artísticas na Chapada dos Veadeirosabre caminhos para o conhecimento da cultura artística da comunidade, e o reconhecimento dos jovens envolvidos. O trabalho é feito por meio de oficinas de teatro e pesquisas sobre as principais expressões artísticas da região buscando confluências entre as ações do pesquisar e vivenciar tais expressões.

Assim, os participantes do grupo já puderam vivenciar diferentes momentos de expressão artística tradicional da região da Chapada, como o Cortejo do Império do Divino Espírito Santo, Cortejo do Império de São João Batista, Caçada da Rainha, Romaria do Vão de Almas e a Festa do Mastro.

Com estas experiências, foi possível coletar fotos, vídeos e entrevistas com os moradores locais, bem como, produzir relatos científicos. Assim, foi possível ter um panorama e visualizar um painel das tradições locais, aproximado os jovens da cultura Kalunga e da tradição local.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

ECOSSISTEMAS SONOROS: Processos educativos voltados para a preservação e afirmação da identidade sonora e musical do cerrado

 

Patrícia Pederiva

 

Sons nos cercam por toda a parte. Sons naturais e sons produzidos nas e pelas culturas. Cada lugar possui seu espectro sonoro, ou seja, a diversidade de sons que lhes são peculiares e que caracterizam suas sonoridades, com os quais convivemos, e que interferem de alguma forma em todos os que habitam cada contexto. As diversas criações e expressões musicais também refletem esse espectro, inclusive àquelas que representam a mescla de novas configurações sonoras trazidas pela redução das distâncias entre lugares e pessoas, e pelas novas formas de comunicação. O conceito de ecossistema sonoro abrange esse espectro. Ele envolve toda a biodiversidade sonoro-musical, bem como o cuidado do espaço sonoro- que engloba pessoas, natureza, e sua unidade nas identidades culturais por meio das manifestações e expressões culturais.

A educação musical é a atividade educativa que trabalha com a consciência sobre os espaços sonoros, sua, percepção, compreensão, expressão e criação consciente, que envolve a educação para a escuta atenta. Muito pouco talvez seja feito, a respeito de uma consciência sonora, que envolve processos educativos voltados para esse fim. Assim, é preciso falar de uma educação no sentido da sustentabilidade dos sons naturais, das identidades musicais das culturas e de seus processos educativos.

O cerrado representa uma grande potência em termos de seu ecossistema sonoro, de seus sons naturais e culturais. Mas essa potencialidade deve ser cultivada por meio de um projeto educativo intencionalmente voltado para esse fim, no âmbito da educação musical, em diálogo com áreas e atividades educativas que busquem conhecer as raízes da cultura humana, bem como, que primem pelo fortalecimento das identidades nela envolvidas. Tal modo de pensar e de atuar implicaria em uma projeção da comunidade que habita o cerrado do centro-oeste brasileiro.

Os processos educativos em música envolvem também a necessidade e a importância de pesquisar novas fontes sonoras para o uso sustentável dos materiais que compõem o cenário acústico da região. Isso implica em inaugurar um projeto de educação para a sustentabilidade sonora - cuidado com as sonoridades naturais do cerrado - no sentido de conviver com essas sonoridades e de educar a comunidade para preservá-las, o que englobaria os diversos participantes de cada comunidade, crianças, jovens e adultos em suas diversidades culturais e identidades.

 

© 2017 por

Othávio Canabarro

Entre em contato:
(62) 3446-1710

Encontre-nos:

Rua 06 Quadra 07 Lote 09, Setor Planalto

Alto Paraíso de Goiás - GO, CEP: 73770-000

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now